Episódio 4 - Paletas mexicanas na crise voltam a ser picolé?

Já deve ter ouvido falar do termo “gourmetização da comida”, confere?


E aí, toda essa onda de adornar comidas é bom ou é ruim??


Toda última sexta-feira do ano abordaremos um assunto do que consideramos ser uma predição saudável para esse ano. Algumas já acertamos outras ainda estamos esperando confiantes a consumação.


Este mês a discussão da nossa série mensal de Predição Saudáveis para 2016 é com relação a esta onde de gourmetização que estamos vivendo...portanto vamos a ela!!


…..


Nesse cenário de crise, dias atrás escutei a seguinte notícia:


“Paletas mexicanas na crise volta a ser picolés”...


O fato me deixou pensativo...o repórter está certo ou errado?


Poderíamos ser rigorosos e sistemáticos e simplesmente falar que tudo no ramo gourmet é apenas um motivo para aumentar os preços. Entretanto somos melhores que isso. Gostamos de ver o lado bom das coisas.


Além disso não gostamos de generalizar...por isso “goumetizar” pode ser bom SIM. Vamos aos fatos….


……..


Nesse episódio vamos abordar os seguintes temas:

  • Gourmetizar é bom?

  • O que posso ganhar com tudo isso.

  • O que posso perder com tudo isso.

  • Será essa a minha chance de ser saudável?


Gourmetizar é bom?


Claro que essa pergunta é muito abrangente e com certeza terá duas respostas. Sim e Não.

Entretanto vamos melhorar: ,

Gourmetizar em algumas situações é bom? A resposta é SIM.

Gourmetizar SEMPRE é bom? NÃO.


O sentido da palavra gourmet remete a pratos com ingredientes finos e preparo cuidadoso (geralmente envolve uma técnica especial). Sendo assim tudo realmente pode ser gourmet. Até um pão com manteiga.


Gourmetizar portanto é:

  1. escolher ingredientes nobres e raros para incrementar ou alterar a receita original; ou

  2. melhorar a receita original utilizando alguma técnica culinária para alterar o sabor ou a apresentação;


Sabendo disso, de uma vez por todas, quando gourmetizar é bom?

Objetivamente, na nossa humilde opinião, gourmetizar é bom desde que não tire a identidade do prato original nem engane ninguém.


O Brasil, como muitos lugares, tem uma culinária típica. Acreditamos que sendo brasileiros devemos valorizar isso e realmente respeitar as receitas nos orgulhando delas.


Devemos SIM fazer e comer com orgulho uma autêntica tapioca. Um autêntico churrasco ou uma autêntica feijoada.


É nossa responsabilidade manter as tradições e cuidar da identidade culinária já existente.

Trocar constantemente a receita e o modo de preparo pode ser um risco a tudo isso.


Aí esta o pulo do gato - respeito.


Respeito às tradições e também respeito ao consumidor.


Não há problema nenhum em querer experimentar tudo de gourmet que aparece. Se estiver feliz com isso, se continuar a entender que existe uma receita original e tradicional por trás E se não estiver sendo enganado, ótimo.



O que posso ganhar com tudo isso.


Muitos pratos da onda gourmet ganharam ingredientes poderosos. Ou ainda ingredientes de melhor qualidade e que não comíamos com frequência. Aí está o ganho da coisa toda. Experimentar novos sabores e incluir coisas boas na sua vida.


Comumente encontramos no pratos gourmets especiarias, temperos ingredientes poderosos. Encontramos alimentos com menos gordura, menos industrializados e menos maléficos à saúde.


Açafrão, gengibre e pimentas nunca estiveram tanto na moda em alimentos comuns. Carnes selecionadas, derivados animais e vegetais orgânicos são ótimos atrativos nos pratos gourmets que já estão virando tradicionais.


Quase todos nós gostamos de comprar arroz com quinoa. Quase todos gostamos de uma paleta mexicana…(para que tudo fique claro: gostamos E respeitamos as paletas. São ótimas)



Aí esta o ganho. Pegar gosto por coisas boas, coisas saudáveis e que irão trazer benefícios à sua vida.



O que posso perder com tudo isso.


Resposta: Dinheiro e cultura.


Dinheiro pois existem muitos indivíduos no mercado que somente colocam gourmet no rótulo e não aplicam mudanças significativas no alimento. Somente no preço.


Cultura porque ao experimentar um acarajé gourmet, por exemplo, podemos muitas vezes estar perdendo a oportunidade de conhecer sobre a região que estamos visitando.

Não existe nada de rebuscado em feijão, óleo de dendê e quiabo. Mais eles juntos ajudam a formar o acarajé tradicional e original. Adornar estes ingredientes pode acabar por ofuscar o prato original e suas percepções sobre ele. Mesmo que com os novos ingredientes o resultado fique ‘gostoso’.



Será essa a minha chance de ser saudável?


Somente pela onda gourmetizante? Acho difícil. O “raio gourmetizador” não é tão forte assim.

A mudança real começa pelo simples.

Começa dentro de você.

Portanto, a onde gourmet não é um atalho.


Resumindo: Culinária saudável e culinária gourmet podem perfeitamente andar separadas. Entretanto, também podem muito bem ser dar bem juntas!!


O ideal para ser saudável é se conhecer e encontrar alternativas para NÃO comer coisas ruim. Essa é uma sacada bem interessante. Com o tempo você só estará comendo coisas boas e seu paladar vai sentir prazer ao saborear um bom e velho "bacião" de salada.


Esperamos que com esse post possamos esclarecer algumas coisas e instigar vocês a procurarem alimentos gourmets na hora certa.


Nas suas próximas viagens pelo Brasil faça um teste...tente procurar o mais tradicional prato da cidade no lugar mais tradicional. A experiência tem grandes chances de ser inesquecível.


Conte para nós sobre suas viagens e sobre os lugares clássicos da sua região. Entre em contato com nossa comunidade e interaja para saber mais sobre o assunto...quem sabe não podemos ajudar...


Até a próxima e bons hábitos.


Predições saudáveis 2016 - conheça todas

Episódio 1 - janeiro - o poder do estômago

Episódio 2 - fevereiro - DETOX digital

Episódio 3 - março - fast foods orgânicos

Em destaque
Post recentes
0

© 2014 por Minimercado QDC - Questão de Comida. Aviso legal da empresa.

Ponta Grossa - PR. Rua Alberto Torres, 76 - Vila Estrela - CEP 84040-190 - como chegar

Telefones: (42) 3323-7710 ou (42) 99954-5344